Brasil revive rivalidade com Alemanha na estreia do futebol masculino

Cinco anos atrás, a seleção brasileira masculina de futebol protagonizou uma final emocionante na Rio 2016. No Maracanã, derrotou a Alemanha e conquistou a inédita medalha de ouro, entrando para o seleto grupo de países que ganharam o título olímpico em casa. Além do Brasil, Grã-Bretanha (1908), Bélgica (1920) e Espanha (1992) também conseguiram o feito.

O Brasil está no Grupo D. No domingo, 25, irá enfrentar a Costa do Marfim, em Yokohama, e na quarta, enfrenta a Arábia Saudita

Nesta quinta-feira, 22, o time brasileiro volta aos gramados nos Jogos Olímpicos Tóquio 2020 em busca do bicampeonato e terá exatamente os alemães como seus primeiros adversários no caminho em busca pelo pódio. O time estreia às 20h30 do Japão (8h30 no horário brasileiro), no International Stadium Yokohama.

“Alemanha e Brasil é realmente um grande clássico mundial, uma partida que tem uma história maravilhosa e é uma honra para nós fazer parte dela. São duas equipes que se respeitam muito e vão se alternar na dominância. Acredito em um jogo duro, difícil, decidido no detalhe pela equipe mais concentrada. Ficamos honrados em poder coroar a abertura dos Jogos Olímpicos com um jogo dessa magnitude. Amanhã vai ser um dia de, além de desfrutar do jogo, poder escrever mais uma página na história desse confronto. E que seja uma página brasileira”, afirmou o técnico André Jardine.

O time nacional está no Grupo D. No domingo, 25, irá enfrentar a Costa do Marfim, em Yokohama, e na quarta, 28, encerra sua participação na fase classificatória diante da Arábia Saudita, em Saitama.

Na história dos Jogos, o Brasil já conquistou seis medalhas olímpicas no futebol masculino: um ouro, três pratas e dois bronzes. É o país que mais figurou no pódio e também o que mais venceu partidas: são 34 vitórias em 13 participações.

A equipe convocada pelo técnico André Jardine conta com 10 jogadores atuantes no futebol brasileiro e 12 que jogam no exterior.

Por conta do adiamento dos Jogos Olímpicos no ano passado, excepcionalmente as equipes contarão com atletas sub-24 e não sub-23. André Jardine e sua comissão técnica também convocaram os três jogadores acima da faixa etária permitidos pelo regulamento: o goleiro Santos, do Athletico, o zagueiro Diego Costa, do Sevilla (ESP), e o lateral Daniel Alves, do São Paulo, usarão sua experiência para ajudar a equipe na caminhada olímpica.

O último atleta a se juntar ao grupo foi o atacante Malcom, que se apresentou na segunda-feira, 19. O goleiro Brenno também ficou alguns dias longe do elenco. Após amistoso na Sérvia, ele testou positivo para Covid no dia 15 e teve de realizar um segundo teste, que deu negativo. Como o jogador teve a doença recentemente, o departamento médico da seleção olímpica acredita ter sido caso de falso positivo. Com o resultado em mãos, obtido no domingo, 18, Malcom foi liberado para viajar para o Japão e se juntar ao grupo para a estreia nos Jogos.

Compartilhe esse artigo

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email